sexta-feira, 20 de março de 2009

Pelo chão de barro




O outono e a noite chegam. As folhas querem desprender-se, enquanto quero enraizar-me. A rua já não me seduz, assim como a luz artificial dos postes não ilumina o necessário. Não quero ser uma sombra que caminha por percursos já existentes. Quero caminho próprio. Ainda que eu demore em ter asfalto, já serei feliz em ir pela minha torta e imaginária trajetória em um chão de barro.

Foto: Paraty - Dezembro de 2007.

2 comentários:

Rox F. disse...

Muitoooo lindo seu blog!

Oxum disse...

Me traduz. Este me traduz.