sexta-feira, 14 de março de 2008

Menino




Imaginava, mas não tinha certeza
do que o menino aprontava
por essas ruas escuras e sem beleza.

Travessuras de quem aproveita
uma infância clara e roubada
por involuntárias luzes acesas.


Ilustração: WEB

2 comentários:

Thiago Gonçalves disse...

Baudelaire, revolucionou, colocando a paixão na velocidade da revolução industrial(a uné passant). Hoje eu poderia mais uma vez fazer uma revolução e inventar uma nova modalidade de paixão talvez não tão rápida como a de Baudelaire pela musa de vestes escuras. Mas totalmente nova e reflexo desses tempos loucos que vivemos. É isso aí, apaixonei-me pelos teus versos, bom gosto e tudo mais que senti ser você, Michelle. Espero que isso não seja muito sério, não me achava uma pessoa carente até essa manhã. Parabéns!

Rick disse...

1