terça-feira, 7 de abril de 2009

Vestidos de silêncio




Não gosto da mudez...
Nela há excesso de saliva
e uma timidez vestida.

Talvez seja uma demasiada sensatez
de almas frias e amedrontadas
com a nudez causada pelas palavras.

Os silêncios são como roupas,
cobrem o que há de melhor
e de denso das pessoas.


Obra: Despir - Técnica: óleo s/ tela - Artista: Aidê Zorek

3 comentários:

Oxum disse...

Muito lindo o poema. Com toda a certeza essa que não gosta de silêncios é você. Adorei o "cobrem o que há de melhor". Porém, eu adoro silêncios, acho que dizem muito.

Bjim

Mi disse...

concordo. há silêncios que dizem muito. porém isso foi escrito para uma determinada situação...

beijos!

Leandro Jardim disse...

gostei bastante desse poema!