quinta-feira, 8 de maio de 2008

A terna simplicidade de um chinelo




Não gosto de terno.
Gosto da ternura simples
que não finge
de um chinelo.

O que há sobre a pele
não interessa. Levo e
recomendo que leve
o que não pesa.


Ilustração: Aline Pottier

2 comentários:

Anônimo disse...

Oi ,
Achei a poesia linda!
Um abraço,
Aline Pottier

marilia disse...

Ah, Mii

eu concordo com ocê e sigo suas recomendações!